UM BLOG COLABORATIVO


Mirador Salar de Loyoques – Passeio Monjes de la Pacana

A primeira coisa a saber antes de ir ao Atacama, no Chile, é que não é uma viagem barata. Não precisa ser uma exorbitância, mas mesmo a versão para duros ainda não será uma pechincha. Mas, ainda assim, vale cada centavo gasto.

Melhor época

A alta temporada no Atacama é no fim do ano, de dezembro a fevereiro. Por isso mesmo eu evitaria essa época, com cidade cheia e passeios cheios de turistas por todo lado. Assim fica difícil até tirar fotos.

Nos gêiseres faz muito, muito frio

Também evitaria os meses de inverno, de junho a agosto, já que a temperatura em algumas regiões pode passar de -20ºC (ou menos ainda). Assim também fica difícil tirar fotos… Eu não teria coragem nem de tirar as mãos do bolso.

Restam então os meses de outono e primavera: março a maio e setembro a novembro. Temperaturas mais amenas (dias de calor, mas até uns 30ºC, e noites e manhãs geladas, mas que, nas altas altitudes, não chegam a muito menos de -10ºC)



O que levar

Laguna Pedra
Não pode faltar o biquíni para um mergulho nas lagoas


Considerando essa variação térmica, a mala tem de ser bem variada. Para não pesar demais, é recomendável ter camisas e calças térmicas (aquelas segunda pele). Um casaco do tipo light, aqueles que se enrolam num saquinho, também ajuda bastante. O básico para uma semana é:






  • 1 casaco light (Uniqlo é uma marca com preços mais acessíveis. Você pode comprar nos EUA usando o serviço de redirecionamento do Shopfans _ é o que eu uso). Lojas de departamento no Brasil também têm desses casacos, só não sei se são quentes o suficiente. Se alguém já tiver testado, manda mensagem aqui!
  • 2 camisas e 2 calças segunda pele. Se a calça for tipo fuseau, pode ser usada sem nada por cima e já economiza espaço na mala
  • 1 calça comprida de sua preferência (lembre-se que se anda muito e que há muito pó em todo lugar)
  • 7 camisetas (a única peça que considero trocar todos os dias)
  • 1 biquíni, maiô ou sunga (para os passeios às lagoas e às termas)
  • 1 canga (é útil para forrar o chão e deixar as coisas em cima)
  • 1 tênis próprio para caminhada (daqueles com ranhuras na sola)
  • 1 chinelo
  • 1 short, bermuda ou saia (para os passeios durante o dia, quando é quente)
  • 1 cachecol
  • gorro de lã e luvas
  • meias e roupa íntima para 1 semana
  • Protetor solar
  • Hidratante labial
  • Hidratante para as mãos

Orçamento

O valor incluía refeição e suco
Menu de 5.000 pesos chilenos

Vou ser mais direta e dar uma ideia do custo. Um dia no deserto pode sair de US$ 20 (por pessoa, com hospedagem em quartos compartilhados em hostels e alimentação à base de supermercado) a US$ 550 (baseado no valor de US$ 1100 para duas pessoas num hotel all inclusive, que oferece inclusive os passeios). Por sua vez, os tours custam a partir de US$ 30, excluindo os ingressos das atrações. Você pode ler mais sobre isso em nossas dicas de roteiros.

Fora isso, a alimentação no centro da cidade custa em média de US$ 8 a US$ 10 por refeição (nas opções de menu oferecidas pela maioria dos restaurantes).

Há quem queira apenas sentir o gostinho do Atacama. Essas pessoas se resolvem em 3 dias (o mínimo recomendado). Outros passam 10 ou 12 dias e estendem a experiência até o salar de Uyuni, na Bolívia. A escolha pode ser feita com base no tempo disponível, no orçamento ou na vontade de explorar. O que é certo é que é uma experiência impossível de ser colocada em palavras aqui. Por isso, só digo uma coisa: vá!

Passagem aérea

As passagens para Calama (o aeroporto mais próximo de San Pedro) caíram de preço neste ano, tornando o destino mais acessível. Atualmente, é possível encontrar valores a partir de R$ 900. Entre as companhias que fazem o trajeto estão Latam e Sky Airlines.

Internet 4G

Já no aeroporto de Santiago é possível comprar um SIM card para ficar conectado durante a viagem. Há uma lojinha no 3º andar, ao lado dos banheiros, que vende chips de várias operadoras. Comprei um chip da Claro, com 2GB de internet, por 18.000 pesos chilenos (cerca de US$ 27). Havia outras opções: 1GB por 12.000 pesos chilenos (US$ 18) ou 4 GB por 22.000 pesos chilenos (US$ 33). Mas atenção: há sinal bom em San Pedro, mas na maior parte dos passeios não tem sinal nenhum!!!

Chip de Viagem

Câmbio

Se você for direto de Brasil a Calama, sem passar alguns dias em Santiago, o melhor é fazer o câmbio em São Pedro de Atacama mesmo. Os valores são muito melhores do que os encontrados no aeroporto de Santigo. Como o real anda muito. O melhor é levar a quantia em dólares (que alguns hotéis também aceitam), mas o real é bem aceito na cidade e algumas lojas de souvenir aceitam a moeda até para compras. A rua Toconao, uma transversal da Caracoles, em San Pedro, é o paraíso das casas de câmbio: uma do ladinho da outra.

Transfer Calama – San Pedro de Atacama

O preço é fixo em todas as empresas
Guichês de empresas de transfer no aeroporto de Calama

Há ônibus que fazem o trajeto, mas as empresas de transfer são a opção com melhor custo-benefício. A viagem, de cerca de uma hora, sai por 12.000 pesos chilenos (US$ 18) _ ou 20.000 (US$ 30), se ida e volta forem compradas de uma vez. A van deixa e busca na porta do hotel escolhido. No desembarque do aeroporto é possível encontrar diversas empresas que oferecem o serviço.

Hospedagem

Como já mencionei, os preços de hospedagem podem variar muitíssimo. Em nossa viagem, ficamos em dois locais para experimentar e poder comentar por aqui. O critério foi ter um quarto só para nós (estávamos em 3 pessoas) com banheiro privativo, boas avaliações de antigos hóspedes e ser próximo ao centro da cidade (que se concentra em torno da rua Caracoles). No total, gastamos cerca de US$ 200 cada uma por uma semana de hospedagem. Aqui está onde ficamos:

Casa los Duendes, na travessa de los Duendes
Quarto na Casa de los Duendes

O primeiro local foi a Casa de Los Duendes. Esse, recomendamos de olhos fechados. O quarto é grande e confortável, há limpeza e troca de toalhas todos os dias, uma cozinha compartilhada entre poucos quartos, café da manhã e Wi-Fi. A dona, Verônica, é um amor, e se preocupa verdadeiramente com o bem-estar dos hóspedes. Além disso, fica a 3 quadras do centro, uma caminhada de cerca de 10 minutos. Quando voltar a San Pedro, com certeza será minha primeira escolha.




Flor de Volca, na rua Láscar
Quarto na Flor de Vilca, pouco antes de irmos embora

No meio da semana, nos mudamos para Flor de Vilca. Nesse caso, buscávamos um local que oferecesse uma infra-estrutura um pouco melhor, com piscina, por exemplo. Mas não nos demos tão bem… Primeiro, importante dizer que o local realmente tem uma piscina muito bem mantida, e a dona é simpática e gentil. No entanto, fica mais afastado do centro (cerca de 15 a 20 minutos de caminhada) e também possui camping. O quarto era maior e mais moderno que o da Casa de Los Duendes. Aparentemente, tudo era novo. E mais luxuoso também. Mas o banheiro era pequeníssimo, com um box em que mal cabia um adulto, e não havia limpeza diária. Não possuía gancho para toalhas ou casacos. Não havia secador de cabelo disponível e o Wi-Fi não alcançava todo o quarto. Não foi uma hospedagem ruim, mas tampouco foi o que esperávamos.




Passeios e agências

O passeio ao Valle de la Luna é um dos mais básicos do Atacama, oferecido pela maioria das agências
Vista do Valle de la Luna

Escolher os passeios no Atacama pode ser a tarefa mais difícil. As agências fazem sugestões do mais básicos para explorar o deserto (ver estrelas, flamingos e flutuar numa lagoa de sal). Mas há muito mais para ver.

É possível tomar a decisão após chegar a San Pedro, já que o centro é composto basicamente por agências, restaurantes e lojas de souvenir. Essa opção pode ser boa especialmente para quem não tem preferências sobre as atividades, já que, na última hora, nem todas podem estar disponíveis.

O primeiro passo para nós foi pesquisar os passeios disponíveis e fazer uma lista dos que queríamos realizar. Então, pesquisamos os valores em diversas agências (basicamente todas as que encontrei on-line), para decidir pela melhor opção.

Em geral, os passeios vespertinos incluem paradas estratégicas para apreciar o pôr do sol
Pôr do sol: o ponto alto dos dias no Atacama

Cerca de 15 agências responderam. Levamos em conta, além do valor, as formas de pagamento e o material apresentado sobre os passeios, considerando o que cada um incluía e o número de pessoas. Há agências que levam no máximo 10 pessoas e outras que enchem um ônibus.

A maioria dos blogueiros por aí escolhe FlaviaBia ou Ayllu Atacama. Confesso que a tentação foi grande, já que oferecem os serviços exclusivos, refeições preparadas por chefs e mimos que encantam. Mas custam 3 a 4 vezes mais do que a média das outras agências, então, estavam fora de nossas possibilidades. Se alguém optar por elas, deixa um comentário aqui no post contando como foi a experiência!!!!

Entre as outras, os valores eram bem semelhantes (uma diferença de US$ 150 entre a mais barata e a mais cara). Nossa opção foi a Denomades mais por conveniência. Como é uma intermediadora, que vende pacotes de algumas agências, era a única que incluía todos os tours que queríamos. Além disso, o pagamento era via PayPal, o que também facilitou.

Denomades

Como falei, trata-se de uma intermediadora, não de uma agência em si. O que acabou sendo bom também para o blog, já que tivemos a chance de conhecer o serviço de mais de uma agência.

Vale dos Cactus, próximo a Puritama
Uma paradinha para apreciar a paisagem

Desde o início o atendimento da Denomades foi muito bom. Respostas rápidas com todas as informações solicitadas. Após o pagamento, recebemos rapidamente o comprovante e o itinerário. Por conta do horário de inverno no Chile, alguns horários de excusão sofreram mudanças, o que sempre era prontamente informado. Isso também nos fez cancelar um dos passeios, já que os horários ficariam inviáveis, e o valor foi rapidamente restituído.

Todas as agências contratadas tinham todas as nossas informações. Ficamos 7 dias no Atacama, com tudo pré-comprado, sem nenhum problema com os traslados, com pagamento ou com horários.

Nesses 7 dias, fizemos 10 passeios, que custaram cerca de US$ 350 (fora os valores de entrada de cada atração). Os preferidos, já adianto aqui, foram Monges de la Pacana, Lagunas escondidas de Baltinache e o Trekking noturno. Nosso post sobre roteiros no Atacama detalha melhor as experiências para que você possa escolher seu próprio roteiro.

Uma coisa importante também nessa viagem é o seguro de saúde. Como a maior parte dos passeios inclui caminhadas por terrenos irregulares, é essencial estar protegido em caso de acidente. A Seguros Promo compara diversas companhias e permite escolher o que mais se adequa às suas condições.

Seguro Viagem: América do Sul
TA 40 Especial - Internacional Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 10/dia*
AT 40 INTER Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.500 (COMPLEMENTAR) R$ 27/dia*
AT 60 INTER Assistência médica USD 60.000 Bagagem extraviada USD 1.500 (COMPLEMENTAR) R$ 38/dia*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *