UM BLOG COLABORATIVO


Pois é, resolvemos passar o feriado de Corpus Christi em Miami. Então o primeiro passo foi ficar de olho nas promoções de passagens aéreas, afinal não dá pra gastar uma nota em passagem pra cinco dias de viagem.

Acabei me arrependendo de não ter aproveitado uma oferta da delta por US$ 350. Eu não sabia se ia conseguir umas folgas pra poder viajar na terça-feira. Acabou que consegui por US$ 600 na LAN (atualização: agora é Latam), com conexão em Bogotá na ida e na volta (indo na terça e voltando no domingo)
 
Eu deveria passar a noite na Colômbia tanto na ida quanto na volta. Na ida, chegaria às 9h da noite e seguiria viagem às 9h da manhã. Na volta, o programado era chegar lá às 6h da tarde e pegar o voo para o Brasil às 10h30 da manhã.
Sendo assim, reservei hostels para ficar nas duas datas, pelo menos dormiria bem e de repente ainda poderia dar uma volta pela cidade. Mas não foi bem assim.
 
No dia anterior ao embarque, recebi um e-mail mudando meu voo SP-Bogotá das 5h15 da tarde para 7h40 da noite, o que significava chegar à capital colombiana depois da meia-noite. Eu já tinha lido na internet que as filas para sair do aeroporto eram grandes e que havia muita burocracia, então resolvi que não devia valer a pena sair do aeroporto.
Como estava sozinha, fiquei um pouco receosa de passar a noite no aeroporto e recorri ao Google para procurar informações sobre “passar a noite no aeroporto de Bogotá”. E o que encontrei foi: nada.
Parece incrivel, mas não achei um único relato sobre como é o aeroporto e se dava pra ficar tranquila numa noite por lá. Aliás, tudo o que li já estava bem desatualizado. Então, aqui vai.
 
O aeroporto de Bogotá, Nuevo Dorado, estava em processo de reforma. Se antes ele lembrava a rodoviária do Tietê, hoje está melhor que Cumbica.
Tanto na ida quanto na volta, não passei mais de cinco minutos na imigração nem para entrar de volta na sala de embarque. Há várias lojas de free shop (que fecham às 22h) e uma cafeteria ótima na sala de embarque, onde gastei R$ 11 no café da manhã. Muito menos que em qualquer aeroporto pelo Brasil.
Além disso, há internet gratuita que funciona bem e banheiros bem arrumados.
Sala de embarque do aeroporto Nuevo Dorado

Sala de embarque vazia na madrugada

 
 
Para quem for sair do aeroporto, já não existe mais o guichê de táxi onde se pega o recibo com o preço da corrida para entregar ao motorista. Os taxistas foram cadastrados e há filas para pegar esses carros na saída do aeroporto. Só pra ter ideia, a corrida do aeroporto ao centro da cidade sai, em média, 20 mil pesos colombianos – cerca de US$ 6.
E se a ideia for mesmo ficar no aeroporto a noite toda, posso dizer com tranquilidade que não é má ideia. Quando estive lá havia obra nos terminais, então tive de lidar com barulho de furadeira e tal, mas no geral passei uma boa noite. Há tomadas para carregar os eletrônicos e vários bancos sem apoios para braços, o que permite deitar e dormir numa boa. Aliás, tinha bastante gente fazendo isso bem preparada, com travesseiro, cobertor e tal. Nos meses frios, é uma boa ideia levar uma manta.

Pronta para dormir no aeroporto de Bogotá

 
 
Só tome cuidado com a bagagem. Levei uma mala de mão pequena que usei como travesseiro. Tente sempre manter suas coisas em locais que impeçam que sejam furtadas. De resto, tive uma boa noite, deu mesmo pra descansar. Só lá pelas 7h30 começa a ter mais movimento, e aí é a hora de levantar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *